domingo, 4 de julho de 2010

"Eu te amo – disse ela com ódio ao homem, cujo crime impunível que cometera era o de não querê-la".

Um comentário:

  1. Depois desse trecho, nunca mais esqueci da Clarice Lispector. Um beijo.

    ResponderExcluir